• Leila Dienne Martínez

Eid al-Adha, um ferido tão importante quanto o Natal

Atualizado: 6 de Set de 2019

Dando continuidade ao Hajj (peregrinação anual à cidade sagrada de Meca, o feriado mais  importante do calendário islãmico se aproxima no Oriente Médio.

Conhecido como Eid al-Adha, ou mais popularmente como  a Festa do Sacrifício. A  festa, cai no 10º dia do último mês do calendário islâmico. O Eid Al-Adha é celebrado todos os anos no Dhu al Hijjah que significa o "mês da peregrinação")e é o último mes do calendario islâmico. Isso coincide com o terceiro dia do Hajj (para saber mais sobre o Hajj, clique aqui) e cai no dia seguinte ao encontro de pessoas - realizando a peregrinação islâmica anual - em Arafat, na Arábia Saudita.


O calendário islâmico é um calendário lunar (que surgiu quando o Sagrado Profeta Muhammad emigrou de Makkah para Madinah) e é baseado na visão da lua em comparação com o calendário gregoriano que é um calendário solar e não é baseado no avistamento da lua. Um mês islâmico típico pode durar 29 ou 30 dias, dependendo do avistamento da nova lua crescente. Isso significa que a cada ano o Eid cairia em um dia diferente do ano anterior e pode realmente voltar cerca de 11 dias por ano, de acordo com o calendário gregoriano. Isso também significa que Eid al-Adha pode cair em um dia diferente em diferentes países ao redor do mundo, dependendo de quando a lua é avistada em cada país.


O governo da Arábia Saudita anunciou oficialmente as datas para 2019: dia 9 de Agosto será o primeiro dia da peregrinação(Dhul Hijjah), 14 de Agosto será o último dia da peregrinação(Arafah) e dia 11 de Agosto o primeiro dia do feriado Eid al Adha que vai até 14 de Agosto.




Qual o significado do Eid Al Adha


Eid al-Adha conclui a peregrinação à Meca, uma peregrinação que todo muçulmano deve fazer no mínimo uma vez na vida, uma jornada de dedicação e purificação, Eid al-Adha é entendido para a religião islâmica como uma oportunidade de uma segunda chance.


Leia mais sobre a peregrinação à Meca aqui.


Os muçulmanos celebram o feriado que  tem duração de três dias para comemorar a sua crença na disposição de Abraão de seguir o mandamento de Deus em sacrificar seu filho Ismael, e o consentimento de Ismael em ser sacrificado.

Os muçulmanos acreditam que esse  filho seria  Ismael, ao em vez de Isaac como diz no Antigo Testamento. Ismael é considerado o antepassado dos árabes. De acordo com o Corão, quando Ismael tinha 13 anos, seu pai, Abraão (Ibrahim), começou a ter sonhos inconcebíveis em que Deus o instruiu a sacrificar Ismael.


Abraão decidiu seguir as instruções de Allah - mas não antes de perguntar a  Ismael se ele concordaria com isso. O filho não hesitou, mostrando submissão final à vontade de Deus, dizendo a seu pai para ir  adiante com o sacrifício.

Mas no exato momento em que Abraão levantou a faca, Deus lhe disse para parar - que tinha passado no teste - e para substituir o sacrifício de Ismael pelo de um carneiro. No Corão, Abraão é recompensado  por sua  fé  com um segundo filho, Isaac. A  festa re-encena a obediência de Abraão, sacrificando uma vaca ou um carneiro.


Cena comum nas ruas de Doha na semana que antecede ao feriado

Preparativos para a comemoração


Na primeira manhã de Eid al-Adha, os muçulmanos de todo o mundo participam das orações da manhã em suas mesquitas locais. As orações são seguidas por visitas com a família e amigos, e a troca de cumprimentos e presentes. Em seguida, cumprimentam os amigos com a saudação tradicional árabe de Eid Mubarak ("Tenha um abençoado Eid") e troca de presentes.


Em algum momento, os membros da família visitam uma fazenda local ou tomam as providências para o abate de um animal (Qurbani). Vacas,camelos, ovelhas e cabras são todos sacrifícios aceitáveis. Mas por aqui os animais mais procurados são a cabra e as ovelhas.

A carne não é desperdiçada e é distribuída durante os dias do feriado ou pouco depois, um terço é distribuída aos pobres, um terço para a família alargada e um terceiro para a pessoa que faz o sacrifício. Aqueles que não podem pagar para o abate de um animal compram carne de um açougueiro Halal para distribuir.


Para saber sobre a carne Halal leia a página Leila martinez Doha Tours https://www.facebook.com/turistandoemdoha/


Aqui no Qatar contrariamente à crença popular(e prática), o abate de animais não é permitido nas casas, nos parques de estacionamento ou outros locais públicos por razões sanitárias e de higiene. O Ministério do Município  todo ano coloca inspectores para garantir que as regras sejam seguidas.


0 visualização

2019 @turistandoemdoha 

Todos os direitos reservados

Fotos by Leila Martinez /Diogo Martinez

Desde 2014

Doha, Qatar 

info@turistandoemdoha.com

Whatsapp +974 33185310

33540380_779311298925896_486314662980222
1c23791d-a214-4fc2-867e-9e4374712b68.JPG
  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social